Curiosidades

Na página 56 do livro: A Barra da Tutoia – Limite entre os Estados do Piauhy e Maranhão. Tem a citação do então ouvidor da Capitania do Piauhy Antonio José Moraes Durão. Essa citação de 1772, diz sobre a Igreja de N. S. do Carmo de Piracuruca: “…𝘖 𝘵𝘦𝘮𝘱𝘭𝘰 𝘩𝘦 𝘥𝘦 𝘱𝘦𝘥𝘳𝘢 𝘥𝘦 𝘤𝘢𝘯𝘵𝘢𝘳𝘪𝘢, 𝘢𝘴𝘴𝘢𝘻 𝘮𝘢𝘨𝘯𝘪𝘧𝘪𝘤𝘰, 𝘦 𝘲𝘶𝘦 𝘧𝘦𝘻 𝘥𝘦 𝘥𝘦𝘴𝘱𝘦𝘻𝘢 𝘲𝘶𝘢𝘴𝘪 𝘥𝘶𝘻𝘦𝘯𝘵𝘰𝘴 𝘮𝘪𝘭 𝘤𝘳𝘶𝘻𝘢𝘥𝘰𝘴; 𝘱𝘰𝘳é𝘮 𝘦𝘴𝘵á 𝘴𝘦𝘮 𝘶𝘴𝘰 𝘦 𝘥𝘦𝘴𝘤𝘰𝘣𝘦𝘳𝘵𝘰…”

Fonte: A Barra da Tutoia – Limite entre os Estados do Piauhy e Maranhão

Uma carta regia de 1761 determinava que seis freguesias do Piauhy fossem transformadas em Vilas, como não havia nenhuma vila no litoral, a vila que deveria ser instalada em Piracuruca foi transferida para Parnaíba, porém, seu governo espiritual ficou ligado a freguesia de Nossa Senhora do Carmo.

Fonte: João Bosco Gaspar – Historiador Ibiapabano

Em 1915, Piracuruca contava com 3 Jornais impressos, eram eles: Cidade de Piracuruca, Dois de Fevereiro e O Afobado.

Fonte: O Piauí nos 210 anos da Indústria Gráfica Brasileira – Paulo Chaves

A primeira Igreja Evangélica de Piracuruca, embora não fosse um templo foi a Igreja Pentescostal. Funcionava em uma sala da casa do Pastor Moacir Lima.

Maria do Carmo Fortes de Britto

Antigamente os dias de Quarta e Quinta-feira Santa e Sexta-feira da Paixão eram chamados de “Dias Grandes”.

Zilmar Meneses

O Templo da Igreja Cristã Evangélica – Av. Aurélio Brito. É o mais antigo templo Evangélico de Piracuruca, fundado em 1954, através dos missionários Wesley e Winnie Gould, vindos da Irlanda do Norte.

Pr. Samuel P.S Filho

Em 1711 com a ajuda do coronel Pedro Barbosa Leal e alguns moradores, João Paulo Diniz constrói em Parnaíba uma pequena capela para Nossa Senhora de Mont Serrat, imagem vinda de Portugal, e que foi venerada como Padroeira da Feitoria, mas a imagem fora levada à Matriz de Piracuruca em 1712, devido aos ataques dos índios tremembés na feitoria.

http://www.parnaiba.pi.gov.br/novophb/historia.php

Pelo Decreto do Executivo – 91.865/1985 de 01/11/1985 foi outorgada a concessão à empresa de radiodifusão Sete Cidades de Piracuruca Ltda., para explorar serviço de radiodifusão sonora em onda média, na cidade de Piracuruca, Estado do Piauí.

http://legislacao.planalto.gov.br

Dentre as milhares de peças existentes no museu particular do Zé Didor em Campo Maior-PI duas delas merecem destaque pelo fato de terem pertencido a piracuruquenses: a primeira é uma chibata imperial trabalhada em couro de boi e prata, que pertenceu ao Cel. Cassiano de Brito a outra é um cofre que pertenceu ao Senador Gervásio de Brito Passos. (as mesmas podem ser vistas na seção de fotos)

Francisco Gerson Amorim de Meneses

A primeira referência histórica oficial de Sete Cidades é a comunicação feita pelo Conselheiro Tristão de Alencar Araripe ao Instituto Histórico e Geográfico, denominada de “Cidades Petrificadas e Inscrições Litográficas no Brasil”, em 9 de dezembro de 1886. A primeira descrição de Sete Cidades foi feita pela Câmara Municipal de Piracuruca numa comunicação àquele Instituto em 1897.

Artigo MAGNÍFICO MONUMENTO NATURAL, por JORGE DELLA FAVERA – Universidade do Estado do RJ