O Enigma das pinturas rupestres em formato de “algarismos” e “letras” deixadas na margem do Riacho Palmeira em Piracuruca

No dia 7 de maio de 2019 publiquei aqui no Portal uma matéria sobre “A imponente pintura rupestre da ‘Mão do Gigante’ na margem do Riacho Palmeira em Piracuruca” (link no fim desse texto), no entanto, não foi somente a “Mão do Gigante” que atraiu a minha atenção e sim, também o formato de alguns desenhos que achei bem particular e que até então não havia visto em nenhum outro sítio que visitei.


PAINEL COM PINTURAS RUPESTRES NA MARGEM DO RIACHO PALMEIRA

Apesar de ocorrerem sobreposições, algumas pinturas desse sítio se assemelham muito com caracteres utilizados nos algarismos contemporâneos, o romano e também o arábico e outras a alguns caracteres do nosso alfabeto, estranho de se imaginar que um registro, que a princípio tem a sua datação de alguns milênios, seja associado aos mesmos caracteres que usamos hoje. Apesar dos caracteres contemporâneos também terem sido originados a milênios também, temos que incluir nessa “conta” o autor da pintura, esse portanto, teria a noção do que estaria desenhando ali, como uma espécia de mensagem, como uma linguagem comum entre os povos daquela época.


EM a A PINTURA ORIGINAL, EM b COM A APLICAÇÃO DE REALCE USANDO A FERRAMENTA DsTretch, EM c OS SÍMBOLOS SEGMENTADOS, ASSOCIADOS AOS CARACTERES: “I”, “T”, “d”, “L”, “A” (2 VEZES), “O” OU “0” (2 VEZES) E “M”, E EM d UM DESTAQUE PARA 4 DESENHOS PERFILADOS EM ASPECTO DE DATA APARENTANDO SER “1589” OU “1509”.


EM a A PINTURA ORIGINAL, EM b COM A APLICAÇÃO DE REALCE USANDO A FERRAMENTA DsTretch, EM c OS SÍMBOLOS SEGMENTADOS, ASSOCIADOS AOS CARACTERES: “I” (2 VEZES).


EM a A PINTURA ORIGINAL, EM b COM A APLICAÇÃO DE REALCE USANDO A FERRAMENTA DsTretch, EM c O SÍMBOLO SEGMENTADO, ASSOCIADO AO CARACTER: “7” OU “1”.

Bom deixar claro aqui que meu objetivo não é ser conclusivo sobre o assunto, longe disso. Pesquisadores e profissionais das áreas de história, arqueológica e antropologia são quem podem afirmar com mais propriedade científica a relação desses símbolos com seus autores e prováveis significados. Esse texto trata apenas de difundir as dúvidas, mas que qualquer coisa, e assim compartilhar esse enigma dos símbolos do painel arqueológico na margem do Riacho Palmeira em Piracuruca.

Tive a curiosidade de saber da opinião dos moradores do entorno sobre o que eles veem nesses registros, importante salientar que geralmente, uma quase unanimidade dos entrevistados sobre arte rupestre afirmam que os índios foram os autores das “escrituras”, isso em todos os locais que já passei, e não foram poucos. No caso particular do sítio palmeira eles afirmam que os “números” são o registro do período em que os “índios” chegaram naquela região, são datas deixadas, tal qual se observam hoje na fachada de muitos casarões antigos e até na Igreja de Nossa Senhora do Carmo em Piracuruca.


EM DESTAQUE O FRONTÃO DA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO CARMO EM PIRACURUCA, APRESENTANDO A DATA “1743” EM ALGARISMO ROMANO.

Datações, enigmas e mistérios à parte, percebe-se claramente que a pintura “fala” só que em um “idioma” que não entendemos, cabe muito estudo e que sejam tomadas rápidas providências no sentido de preservar aquele grande painel de arte rupestre. Em visita no dia 15 de dezembro de 2018 constatei que grande parte das pinturas já foram perdidas, o painel fica de frente para o poente, portanto pega muito sol, talvez esse seja o motivo dos pictogramas estarem com a cor bastante clara, quase sem vida.

Logo abaixo tem os links para a matéria da “Mão do Gigante” e outro do Mapeamento Arqueológico do Projeto Artes do Bitorocaia com todas os registros feitos do sítio palmeira.

Sobre o Sítio Arqueológico do Riacho Palmeira. Veja também:

A imponente pintura rupestre da “Mão do Gigante” na margem do Riacho Palmeira em Piracuruca

Palmeira


Algumas consultas:
https://pt.lifeder.com/algarismos-romanos/
http://www.matematica.br/historia/indoarabico.html
https://www.todamateria.com.br/origem-do-alfabeto/