Fazenda Limoeiro, de cenário da Balaiada a importante sítio arqueológico

Uma antiga fazenda localizada bem próximo à área urbana de Piracuruca se destaca pela imponência do seu casarão e ainda mais por um fato histórico e registros arqueológicos que existem dentro dos seus limites.


Imponente Casarão da Fazenda Limoeiro pertencente à Família Carvalho


A Fazenda Limoeiro já está incorporada à área urbana de Piracuruca, ficando a menos de 1 km do Bairro Esplanada. Para acessar a Pedra do Índio seguimos por mais cerca de 800 m a partir do casarão da Fazenda

De acordo com [1,2], na Fazenda Limoeiro, no fim da primeira metade do século 19 teria ocorrido um embate durante a revolta dos Balaios e lá abrigaria um antigo cemitério dos “bem-te-vis”.


Antigo cruzeiro da época da Balaiada, aqui seria o cemitério dos “bem-te-vis” [2]

“…a ação destemosa de um Batalhão de militares e voluntários sob o comando do Major Joaquim Ribeiro evitou o desfecho daquele plano. Os “bem-te-vis” foram cercados e combatidos com cerrado tiroteio. Na oportunidade, faleceram quinze combatentes de identidade ignorada. Seus corpos foram sepultados em vala comum, próximo onde hoje é o sítio Limoeiro” [1,2].


Ilustração de um combate na Revolta dos Balaios [4]

No entanto, no Limoeiro também existe uma misteriosa formação rochosa, conhecida como Pedra do Índio, com antiquíssimos desenhos rupestres, são pictogramas em formatos de mãos, muitos em formatos geométricos, alguns em duas tonalidades de cores e outros com sobreposição. Os desenhos sobrepostos indicam que grupos pré-históricos em épocas diferentes estiveram no local. No local tem também um abrigo sobre rocha.

———————

———————

———————

———————

———————

———————


Arte rupestre da Pedra do Índio da Fazenda Limoeiro

Estas representações datam de aproximadamente, entre 3.000 e 10.000 anos. Ao longo deste tempo muitas destas gravuras já foram destruídas e algumas continuam ameaçadas [3]. Na Pedra do Índio existem sinais evidentes da destruição das pinturas, prevalescendo a pichação e ações humanas como o fogo,


Sinais da depredação dos pictogramas na Pedra do Índio do Limoeiro

Sítios Arqueológicos como a Pedra do Índio do Limoeiro são recorrentes em vários outros locais em todo o Piauí, somente em Piracuruca existem vários outros locais com Arte Rupestre, incluindo o Parque Nacional de Sete Cidades. Um mapeamento dos Sítios Arqueológicos da Bacia do Rio Piracuruca está sendo feito no Projeto Artes do Bitorocaia. No link abaixo tem o acesso para A Pedra do Índio do Sítio Limoeiro.

Limoeiro

Referências:
1 – Jureni Machado (Apontamentos Históricos da Piracuruca)
2 – Maria do Carmo Brito (Remexendo o Baú)
3 – https://artebrasileirautfpr.wordpress.com/2012/06/01/arte-rupestre-no-brasil/
4 – https://www.todoestudo.com.br/historia/balaiada